Genial costureiro, Dior teve a brilhante idéia de colocar sua célebre marca em produtos voltados para o grande público, como o genial perfume Miss Dior.

Françoise Giroud, a famosa escritora e politica francesa, relata em um livro: “Era o dia 12 de fevereiro de 1947. Naquela manhã, em Paris, tremia-se de frio, a uma temperatura de 13 graus abaixo de zero. Não havia carvão, os jornais estavam em greve por tempo indeterminado. Por isso, os franceses foram os últimos a receber a noticia do extraordinário evento ocorrido em um palacete particular da elegante avenida Montaigne: o nascimento de um costureiro. Ou melhor, de uma moda. Ou, por que não, da Moda…”.

Mas foi Carmel Snow, jornalista da Harper’s Bazaar, a prestigiosa revista de moda americana, quem deu nome, sem saber, ao primeiro desfile revolucionário de Christian Dior, definindo o estilo que o costureiro tinha acabado de criar: o “new look”. 

Mas quem era Christian Dior (1905 1957), o homem que emprestou seu nome a alguns dos perfumes mais apreciados em todo o mundo, como Miss Dior, Diorissimo, Poison e Dolce Vila?

Era um jovem que começou trabalhando como desenhista para Schiapparelli, uma costureira, e, depois, como estilista para Piguet. Um dia, Dior começou a contar como gostaria de vestir as mulheres que ele via andando pela rua: com a cintura justa, e a saia comprida e larga, que dançasse ao redor e estalasse a cada passo, dando um ar algo insolente de jovem, de miss despreocupada.

Boussac decidiu montar para Dior um grande ateliê, de onde ele pudesse difundir aquele new look. O ano de 1947 estava começando quando eclodiu a revolução: o new look das saias compridas e amplas, godês, foi logo adotado em todo o mundo. Mas havia mais.

christian dior

Ao lado da indústria dos vestidos, nasceu outra de acessórios de luxo, criados por Dior para fazer as mulheres sonharem e permitir que aquelas sem condições de comprarem um vestido seu pudessem adquirir algo que as fizesse sentir elegantes, naturalmente com a marca Dior: luvas, bolsas e, principal mente, um perfume, Miss Dior.

Miss Dior foi, aliás, espargido no salão no momento em que entrava na passarela o primeiro vestido em estilo new look. Tanto os vestidos como o perfume tiveram um grande êxito em todo o mundo pela sua audácia, pelo sentido de liberdade e sedução, e pelo sonho de elegância que inspiravam em todas as mulheres.

miss dior 1947

A linha profundamente inovadora sugerida por Dior com seu desfile de 1947 sofreu várias evoluções com o passar do tempo, mas algumas características do estilo Dior se mantiveram. Na escolha das cores, por exemplo, sempre se constatou uma preferência pelo azul, branco e negro, cores responsáveis pelo toque de sobriedade elegante do estilo Dior.

E, entre os acessórios, os broches e colares de pérolas sempre marcaram presença. Durante toda a sua atividade, Dior tentou propor algo novo a cada desfile. Assim, depois da saia godê, lançou outra de linha afunilada, com uma grande dobra posterior. Ou ainda, em 1950, saias curtas com casaco na linha saco, e o três-peças, que tanto marcou a moda nos anos seguintes, formado por cardigã, saia e o top, uma peça que iria vigorar para sempre.
Miss Dior: precursor dos unissex

O aroma Miss Dior foi sentido pela primeira vez no desfile de fevereiro de 1947, que decretou o sucesso imediato do costureiro e o início do new look.
O perfume fez sucesso rapidamente pela originalidade de seus toques florais. Antes dele, só Vol de Nuit lançado pela Guerlain em 1933 conseguiria ser tão “exótico”.

Miss Dior, porém, revelava-se mais inovador ainda: embora sem o toque baunilla de Vol de Nuit, era mais fresco e áspero e também podia ser usado por homens; em suma, era um bom unissex.

Um dos grandes clássicos de todos os tempos, e verdadeiro queridinho da marca Dior até hoje, Miss Dior conta com diversas versões e relançamentos.

Anúncios